Tatuagem de Aréola

Micropigmentação Paramédica de Aréola – Tatuagem de Aréola

logo viviane gabriella batista

 A tatuagem pode ir muito além arte corporal

 O artista especializado em Micropigmentação Paramédica, pode restaurar o que a natureza, uma lesão ou uma doença pode ter tirado com um procedimento chamado de tatuagem paramédica.

É uma técnica que pode resgatar a auto-estima de mulheres que venceram o câncer de mama se sentirem plenas.

Depois que o paciente tem o encaminhamento do médico, um artista especializado em trabalho paramédico vai tatuar uma combinação de cores para criar um efeito realista da micropigmentação de Aréola e do mamilo em 3D.

A tatuagem de Aréola também pode ser feito em clientes que perderam a sua cor natural do mamilo ou desejam melhorar a sua cor natural. Consiste em restaurar não só a pigmentação das aréolas e mamilos, como também, a simetria das mamas.

Pacientes que foram submetidos às cirurgias de Mamoplastia de Aumento (Prótese Mamária), Mastectomia (retirada da mama) e Mastopexia (ptose mamária).

Também pode ser feita a micropigmentação paramédica em pacientes que sofreram queimaduras, alopecia (uma forma de perda de pelos)ou quimioterapia,  também podem se beneficiar de tatuagem médica, restaurando lábios, sobrancelhas e cílios com aparência natural.

O tratamento de Cicatrizes é outra área paramédica que faz uso de Micropigmentação Paramédica.

A tatuagem de aréola é um processo simples e artístico, depois de feita a escolha de cores e forma. Mas pode levar várias sessões para alcançar os resultados desejados e criar nuances de sombreamento para dar os toques realistas.

Viviane Gabriella Batista

Viviane Gabriella Batista – Tatuagem de Aréola

Atuo profissionalmente desde 1996, na área da beleza como Esteticista, Cabeleireira, Maquiadora, e Depiladora. No início das atividades realizava apenas modelagem de sobrancelhas tinturas em sobrancelhas e sobrancelhas com henna.

Em fevereiro de 2008 fiz meu primeiro curso de Micropigmentação (Maquiagem definitiva) e não parei mais de acrescentar certificados em meu currículo.

Decidi dedicar parte do meu tempo à atividade de Micropigmentação de Aréola, após ajudar uma amiga que passou pelo tratamento de Câncer de Mama e Mastectomia. Estive ao lado dela  em todas as etapas do tratamento. Quando foi sugerida a tatuagem para reconstruir a aréola pelo médico, ela disse que apenas faria isso se eu realizasse o procedimento. E foi o que fiz. A partir daí resolvi me especializar mais e ajudar outras pessoas, após ver o impacto desse ato na vida dessa grande Amiga”.

03/2012 -Especialização internacional em Micropigmentação, Despigmentação e Correçãocom Prof. Alfredo González, supervisor e coordenador da Universidade de Cosmetologia Artes e Ciências de McAllen, Texas, EUA;

03/2014 -Especialização internacional em Micropigmentação Paramédica com Prof. Alfredo González, Mei-cha international em Miami Beach, EUA;

10/2014 – Curso de Tatuagem Artística – Lado B estúdio de arte e body art.

02/2015 – Membro oficial de Enlace Hispano de Estética Spa y Belleza Cápitulo Estados Unidos nº 221611

02/2015 – Certificada em Estética Paramédica I – Enlace Hispano de Estética Spa y belleza

01 e 02/03/15 – Partipação em The Iternational Congress of Esthetics and Spa – Miami Beach – Flórida.

Viviane Gabriella Batista

“HOJE EU TENHO MINHA AUTOESTIMA DE VOLTA”, AFIRMA PACIENTE DA CASA DA MAMA DO HOSPITAL SÃO PAULO

“HOJE EU TENHO MINHA AUTOESTIMA DE VOLTA”, AFIRMA PACIENTE DA CASA DA MAMA DO HOSPITAL SÃO PAULO

Projeto Cereja utiliza a tatuagem como parte da reconstrução da mama de pacientes tratadas por câncer

Cuidar da saúde e também da autoestima de suas pacientes. Esse é o objetivo do ambulatório de Mastologia do Hospital São Paulo, conhecido como Casa da Mama, voltado para o atendimento de pacientes com câncer de mama. Em maio deste ano, a unidade iniciou um trabalho que busca devolver a autoestima a pacientes que passaram pelo processo de tratamento do câncer e de reconstrução da mama: o Projeto Cereja.

“Ele consiste na reconstrução da aréola da paciente por meio da tatuagem, uma medida que faz com que a mulher reconheça novamente sua mama, desenvolvendo sua confiança após um procedimento tão delicado. Como essa é a última etapa do processo, literalmente é a cereja do bolo”, afirma Simone Elias, Coordenadora do ambulatório.

Vitória Gomes de Souza, 46, é uma das pacientes que já concluíram o procedimento. “No início tive um pouco de medo, mas hoje tenho minha autoestima de volta”, diz. Em 2013, Vitória foi diagnosticada com câncer, iniciando seu tratamento e passando pela cirurgia de retirada de mama. Em junho deste ano, após ter a mama reconstruída, foi atendida no Projeto Cereja.  “A primeira sessão de micropigmentação foi em junho e o trabalho já foi finalizado. Ficou ótimo, com praticamente nenhuma diferença para o outro seio. Me sinto muito melhor”, diz.

A responsável por fazer a diferença na vida de Vitória e de outras pacientes o faz de forma voluntária. A esteticista especializada em micropigmentação Viviane Gabriella Batista decidiu dedicar parte de seu tempo à atividade após ajudar uma amiga que passou por essa situação. “Estive ao lado dela  em todas as etapas do tratamento. Quando foi sugerida a tatuagem para reconstruir a aréola, ela disse que apenas faria isso se eu realizasse o procedimento. E foi o que fiz. A partir daí resolvi ajudar outras pessoas, após ver o impacto desse ato na vida dessas mulheres”, afirma. Até o momento, cinco pacientes concluíram o procedimento.

Casa da Mama

O ambulatório de Mastologia do Hospital São Paulo, unidade vinculada à Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) e à Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), compreende unidades clínica e diagnóstica, com equipamentos de última geração, buscando promover o diagnóstico precoce e aumentar as chances de cura. Com atendimento totalmente gratuito pelo SUS, a unidade realiza procedimentos diferenciados, como biópsia à vácuo, mais precisa para o caso de calcificações suspeitas na mamografia.

“Nosso sistema de atendimento visa otimizar o diagnóstico do câncer de mama, permitindo, na maioria das vezes, defini-lo no mesmo dia da consulta, agilizando o tratamento das pacientes”, complementa Simone.

Atualmente são realizados, em média, 1.000 atendimentos mensais, como consultas médicas, de fisioterapia e grupos de acolhimento com familiares. Ainda são feitas cerca de 500 mamografias, 100 biópsias e 25 cirurgias mensalmente.

A Casa da Mama do Hospital São Paulo fica na Rua Marselhesa, 249 – Vila Clementino. O agendamento de consultas é feito via Unidade Básica de Saúde (UBS) e as mamografias podem ser marcadas pessoalmente, bastando apenas ter o pedido médico e o cartão do SUS.

Outubro Rosa

Durante o Outubro Rosa – mês da conscientização sobre o câncer de mama, o ambulatório de Mastologia participará de vários mutirões de mamografia realizados em São Paulo por parceiros da instituição (como a GEHealthCare, OSCIP Américas Amigas e Instituto Avon), que disponibilizarão mamografias em carretas em pontos da capital paulista. Todos os casos que necessitarem de esclarecimento diagnóstico serão encaminhados para a Casa da Mama.

https://www.spdm.org.br/saude/noticias/item/1911-%E2%80%9Choje-eu-tenho-minha-autoestima-de-volta%E2%80%9D-afirma-paciente-da-casa-da-mama-do-hospital-sao-paulo

Viviane Gabriella Batista

Micropigmentação Paramédica de Aréola – Tatuagem de Aréola

Contato

Atendimento de segunda a sexta das 13h as 20h e aos sábados das 9h as 13h

 Atendimento Personalizado Com Hora Marcada 

E-mail: contat@sobrancelhascomlinha.com.br

Tel.  11 23846107

Localização     

Rua Teodoro Sampaio, 2550, 13º. Andar – Conj.132

Pinheiros – São Paulo

 A 100mts do Metrô Faria Lima

Projeto Cereja

Trabalho voluntário junto a equipe de Mastologia – Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP

Escola Paulista de Medicina

Este slideshow necessita de JavaScript.

Title: The Cerise Project – a positive impact on patients breast cancer

Authors: Simone Elias, Viviane Gabriella Batista, Gil Facina, Ricardo Pinto, Vanessa C. Resende, Vanessa M. Sanvido, Miguel Sabino, Afonso C.P. Nazário

Institution: Federal University of São Paulo / Paulista School of Medicine

cancer de mama

Objectives: Reconstruction of the nipple-areola complex (NAC) is one of the last steps in rehabilitating pacientes following mastectomy, which closely resembles the original. Multiple surgical techniques, of varying complexity and usefulness, are available for NAC reconstruction. The main criterion for success NAC reconstruction is symmetry of position, size, color, and projection. Recently, the patients of our breast cancer outcome clinic also have this resource to complement the breast reconstruction. It is called “The Cerise Project” which also aims teaching of medical residents to spread the art. Methodology: After appropriate post-operative period (6-10 weeks), the patient is referred for evaluation. If necessary, a physician performs the reconstruction of the nipple through the techniques of “CV flap” or “double opposing tab”. Postoperative care should be strict because these patients have comorbidities. The occluded area should be maintained at least for 48 hours and should be used healing. Later, a specialized professional in paramedical micropigmentation performs areola’s tattoo. This sequence allows minimize the scars of reconstruction. Results: The combined surgical reconstruction technique of the nipple and areola pigmentation allows very satisfactory results. These are safe and effective techniques for restoration of the NAC, following breast reconstruction and has a positive impact on patient well-being and body image. Conclusion: Reconstruction of the nipple-areola complex using a minimal surgical procedure and pigmentation is a simple process, low cost and its low rate of complications. This step represents “icing on the cake” to the patients.

Key words: breast neoplasms, breast reconstruction, tattooing

projeto-cereja-viviane-gabriella-batista

 

Micropigmentação paramédica para desenho de mamilo e aréola

Micropigmentação paramédica ou Tatuagem de Aréola para desenho de mamilo e aréola

A micropigmentação paramédica é uma técnica que pode ajudar mulheres que venceram o câncer de mama a recuperar sua autoestima e se sentirem plenas. Consiste em restaurar não só a pigmentação das aréolas e mamilos, como também, a simetria das mamas. Mulheres que foram submetidas às cirurgias de Mamoplastia de Aumento (Prótese Mamária), Mastectomia (retirada da mama) e Mastopexia (plástica para levantar os seios).

Do que se trata?

A micropigmentação paramédica é um procedimento indicado para reconstruir e disfarçar cicatrizes, aproximando-se ao máximo da cor natural da pele. A técnica segue os princípios básicos de tatuagens, mas a tinta só é aplicada na camada mais superficial da pele. Entre outras aplicações, a técnica é utilizada para o redesenho de aréolas e mamilos das pacientes que precisaram reconstruir os seios após o tratamento de câncer de mama.

O procedimento é rápido e indolor. Mesmo havendo pouca sensibilidade na região, é aplicado um anestésico local sobre a pele, para inibir qualquer desconforto.

Que cuidados eu devo ter antes de realizar a micropigmentação?

Para realizar a micropigmentação, é necessária prescrição médica. O recurso não é indicado para pessoas com diabetes, hipertensão, AIDS, hemofilia, leucemia, trombose, gota, que sofrem de alcoolismo e que tenham tumores cancerígenos. Por isso, o trabalho no qual os seios recuperam os seus detalhes pode iniciar apenas quando o tratamento da doença é finalizado e somente o médico pode autorizar o procedimento.

O profissional que realiza o procedimento deve estar habilitado para realizar a técnica e possuir conhecimento de colorimetria, para garantir que o resultado seja bastante fiel. Peça para ele mostrar trabalhos realizados por ele anteriormente e avalie se os resultados são satisfatórios. O espaço onde o procedimento é realizado deve ter biossegurança.

O que dizem os profissionais que realizam esse procedimento?

A técnica é extremamente gratificante, já que o trabalho contribui para a autoestima dessas mulheres. “É preciso entender o contexto completo. Essa mulher já passou por muitas situações difíceis, a descoberta da doença, a cirurgia, todo o tratamento. Tudo pode ser muito doloroso. É um período de mergulho interno, de rever valores. Por isso, a micropigmentação paramédica não se trata apenas de reconstruir a aréola, mas de entender o caminho pelo qual aquela mulher já passou”.

Após o procedimento cirúrgico a reconstrução da mama possibilita, além da recomposição da anatomia, a recuperação da autoestima, da feminilidade e a melhora da qualidade de vida das pacientes.

Câncer de mama e Reconstrução Mamária

A mama é o caráter sexual secundário mais importante na mulher e símbolo de feminilidade. A reconstrução da mama tem por objetivo melhorar a qualidade de vida das mulheres submetidas a um tratamento cirúrgico que tenha deixado seqüelas funcionais, estéticas e/ou psicológicas. A finalidade da reconstrução mamária não é somente restituir a integridade corporal, mas também recompor a imagem psíquica comprometida por problemas de auto-imagem, aceitação social, dificuldades sexuais e na vida a dois.

Do ponto de vista oncológico, é cada vez mais aceita a iniqüidade da reconstrução mamária, incluindo mulheres com metástases, devido ao benefício trazido pela melhora da qualidade de sua existência. Vários estudos sugerem que a reconstrução não acarreta risco adicional de recidiva local ou reaparição da doença.

Em nível estritamente cirúrgico, o objetivo da reconstrução mamária é tornar o “seio” acometido mais parecido em tamanho, forma, consistência, mobilidade e grau de naturalidade com seu par contralateral e a micropigmentação de aréola é fundamental na reconstrução. Com a ajuda da micropigmentação de aréola ou Tatuagem de Aréola é possível restaurar também a pigmentação da aréola mamária, contribuindo para a simetria dos seios.

Micropigmentação da aréola melhora a qualidade de vida de pacientes com câncer de mama

Uma em cada cinco mulheres com câncer de mama que se submetem a uma mastectomia perdem sua aréola e mamilo (complexo aréolo mamilar), segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia. A restauração pode ser feita logo que o seio for reconstruído e sua cicatrização tenha ocorrido adequadamente. Este procedimento, chamado de micropigmentação, é um método invasivo que utiliza agulhas para infiltrar pigmento sob a pele, desenhando novo complexo aréolo mamilar, melhorando a aparência estética.

Mais do que um procedimento estético, a técnica também pode ser um auxiliar da medicina. Chamada de paramédica, é capaz de camuflar e tratar marcas de cicatrizes cirúrgicas ou de acidente e alopecia. A aplicação mais famosa é a de restauração da aréola mamária. Embora existam diversos métodos estéticos que reconstroem a mama, muitos cirurgiões indicam a micropigmentação ou tatuagem de Aréola por ser mais eficaz e por oferecer menos traumas à paciente.

A maioria das mulheres que recorre à micropigmentação paramédica de aréola, que consiste em restaurar não só a pigmentação das aréolas e mamilos, como também, a simetria das mamas, são mulheres que foram submetidas às cirurgias de Mamoplastia de Aumento (Prótese Mamária), Mastectomia (retirada da mama) e Mastopexia (plástica para levantar os seios). “Os resultados pós-cirúrgicos tem como um dos principais objetivos promover a satisfação da paciente e fazê-la voltar a se sentir mais uma vez de bem consigo mesma”, diz Viviane.

A técnica de Micropigmentação de Áreola consiste na implantação de pequenas quantidades de pigmento via agulha na derme (segunda camada da pele) que reagem com os melanócitos na camada basal e resulta na cor desejada na epiderme (camada externa da pele). Segundo a técnica em micropigmentação paramédica, Viviane Gabriella Batista, o procedimento tem durabilidade de aproximadamente dois anos, mas por ser uma região que não sofre muito com a influência dos raios solares, a durabilidade é prolongada. Viviane conta que a maioria de suas pacientes são encaminhadas pelos próprios cirurgiões plásticos. É importante ressaltar que, com essa técnica, os mamilos não tem proeminência. O que o profissional faz é um trabalho de perspectiva que simula o efeito de projeção em 3D.

Viviane Gabriella Batista

Micropigmentação de Aréola

Micropigmentação de Aréola – Tatuagem de Aréola

Câncer de mama? / Reconstrução Mamária

A mama é o caráter sexual secundário mais importante na mulher e símbolo de feminilidade. A reconstrução da mama tem por objetivo melhorar a qualidade de vida das mulheres submetidas a um tratamento cirúrgico que tenha deixado seqüelas funcionais, estéticas e/ou psicológicas. A finalidade da reconstrução mamária não é somente restituir a integridade corporal, mas também recompor a imagem psíquica comprometida por problemas de auto-imagem, aceitação social, dificuldades sexuais e na vida a dois.

Do ponto de vista oncológico, é cada vez mais aceita a iniqüidade da reconstrução mamária, incluindo mulheres com metástases, devido ao benefício trazido pela melhora da qualidade de sua existência. Vários estudos sugerem que a reconstrução não acarreta risco adicional de recidiva local ou reaparição da doença.

Em nível estritamente cirúrgico, o objetivo da reconstrução mamária é tornar o “seio” acometido mais parecido em tamanho, forma, consistência, mobilidade e grau de naturalidade com seu par contralateral e a micropigmentação de aréola é fundamental na reconstrução.

 

Micropigmentação da aréola melhora a qualidade de vida de pacientes com câncer de mama

Uma em cada cinco mulheres com câncer de mama que se submetem a uma mastectomia perdem sua aréola e mamilo (complexo aréolo mamilar), segundo dados da Sociedade Brasileira de Mastologia. A restauração pode ser feita logo que o seio for reconstruído e sua cicatrização tenha ocorrido adequadamente. Este procedimento, chamado de micropigmentação, é um método invasivo que utiliza agulhas para infiltrar pigmento sob a pele, desenhando novo complexo aréolo mamilar, melhorando a aparência estética.

Mais do que um procedimento estético, a técnica também pode ser um auxiliar da medicina. Chamada de paramédica, é capaz de camuflar e tratar marcas de cicatrizes cirúrgicas ou de acidente e alopecia. A aplicação mais famosa é a de restauração da aréola mamária. Embora existam diversos métodos estéticos que reconstroem a mama, muitos cirurgiões indicam a micropigmentação por ser mais eficaz e por oferecer menos traumas à paciente.

A maioria das mulheres que recorre à micropigmentação paramédica de aréola, que consiste em restaurar não só a pigmentação das aréolas e mamilos, como também, a simetria das mamas, são mulheres que foram submetidas às cirurgias de Mamoplastia de Aumento (Prótese Mamária), Mastectomia (retirada da mama) e Mastopexia (plástica para levantar os seios). “Os resultados pós-cirúrgicos tem como um dos principais objetivos promover a satisfação da paciente e fazê-la voltar a se sentir mais uma vez de bem consigo mesma”, diz Viviane.

Após o procedimento cirúrgico a reconstrução da mama possibilita, além da recomposição da anatomia, a recuperação da autoestima, da feminilidade e a melhora da qualidade de vida das pacientes. Com a ajuda da micropigmentação de aréola é possível restaurar também a pigmentação da aréola mamária, contribuindo para a simetria dos seios.

A técnica de Micropigmentação de Áreola  ou Tatuagem de Aréola consiste na implantação de pequenas quantidades de pigmento via agulha na derme (segunda camada da pele) que reagem com os melanócitos na camada basal e resulta na cor desejada na epiderme (camada externa da pele). Segundo a técnica em micropigmentação paramédica, Viviane Gabriella Batista, o procedimento tem durabilidade de aproximadamente dois anos, mas por ser uma região que não sofre muito com a influência dos raios solares, a durabilidade é prolongada. Viviane conta que a maioria de suas pacientes são encaminhadas pelos próprios cirurgiões plásticos. É importante ressaltar que, com essa técnica, os mamilos não tem proeminência. O que o profissional faz é um trabalho de perspectiva que simula o efeito de projeção em 3D.

micropigmentação areola

micropigmentação areola

micropigmentação areola

micropigmentação areola

micropuntura em cicatriz

micropuntura em cicatriz

micropigmentação areola

micropigmentação areola

micropigmentação areola

micropigmentação areola

tatuagem de areola

micropigmentação areola

micropigmentação areola